RPGBrasil.Org
Se Você não é Membro, Cadastra-se Agora é rapido e fácil.
Venha Participar do Melhor Forum de RPG voltado a um Cenário.
Últimos assuntos
» Revista RPGBRASIL.ORG - Edição 02
Sex Jul 14, 2017 11:16 am por druidadp

» Vendo minha coleção de livros
Sex Jun 30, 2017 1:12 pm por José

» Jocah
Qua Jun 28, 2017 9:09 am por druidadp

» Natasha Yori - Viúva Negra
Qua Jun 28, 2017 8:55 am por druidadp

» Livro Jogo
Ter Jun 27, 2017 5:50 pm por druidadp

» Começando...
Ter Jun 27, 2017 5:42 pm por druidadp

» ERA NOVEL :: participe
Sab Jun 17, 2017 7:13 pm por druidadp

» Roll20
Qua Jun 14, 2017 10:43 am por pingoluis

» Qual a diferença entre o D&D e o AD&D
Ter Jun 13, 2017 11:29 am por pingoluis

» Pesquisa para TCC. Ajudem quem puder!
Ter Jun 13, 2017 11:09 am por pingoluis

» Benshiba - Adotado por MilkShakespare
Seg Jun 12, 2017 4:31 pm por MilkShakespare

» Sou novo no Fórum
Ter Jun 06, 2017 9:15 pm por uatico

» Pesquisa de TCC: desenvolvimento de novas ferramentas
Qui Jun 01, 2017 3:47 pm por Galguyn

Social bookmarking

Social bookmarking Digg  Social bookmarking Delicious  Social bookmarking Reddit  Social bookmarking Stumbleupon  Social bookmarking Slashdot  Social bookmarking Yahoo  Social bookmarking Google  Social bookmarking Blinklist  Social bookmarking Blogmarks  Social bookmarking Technorati  

Conservar e compartilhar o endereço de RPG Brasil em seu site de social bookmarking

Conservar e compartilhar o endereço de RPGBrasil.Org em seu site de social bookmarking

Conectar-se

Esqueci minha senha

Visitas
Flag Counter

O Diário de Um Tiefling

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

O Diário de Um Tiefling

Mensagem por Rafoliveira em Sex Out 16, 2015 9:41 pm

A quem interessar possa, encontrei o diário de um Tiefling...

diariodeumtiefling.wordpress.com

Veja a primeira entrada encontrada no diário:



Começar é sempre difícil. Mas se eu pensar que este não é o começo, ficará mais fácil.

Podemos dizer que o começo foi quando eu decidi que era importante colocar em palavras o que realmente aconteceu. E por que é tão importante? Por dois motivos:

Quando você escreve, você precisa seguir uma linha de raciocínio para que o leitor não fique confuso. Você pega aquele fato, aquele acontecimento, que é um bolo de lembranças em sua cabeça, e vai transformando num evento linear, lógico, contínuo, o que ajuda (e muito) a você mesmo compreender o que aconteceu de verdade.
Quando você conta uma mentira várias vezes, é inevitável que, aos poucos, você acabe acreditando nela. O que vou escrever aqui é a verdade, bem diferente da mentira que conto para todos. Se eu tiver isso escrito, vai ficar mais fácil, no futuro, para mim mesmo lembrar o que foi que realmente aconteceu.
Eu poderia começar pelo incêndio que mudou a minha vida. Não o primeiro incêndio, que me mostrou tanto sobre o mundo. Estou falando sobre o segundo incêndio, que me mostrou ao mundo. Mas vou começar de um pouco antes. Na verdade, muito antes. Vou começar por alguns fatos da minha infância que vão ajudar a explicar quem eu sou, principalmente para mim mesmo porque, verdade seja dita, eu não sei direito quem sou.

Desde criança, quando eu comecei a entender o que acontecia à minha volta, eu percebi que eu era diferente. Eu escutava Sêmele falando, ou melhor, implorando, para que o curandeiro que me visitava não revelasse a ninguém a minha natureza. Eu nunca entendi bem o que ela quis dizer com isso, mas isso me fez começar a observar o que eu tinha de diferente deles.

Para começar, havia algo que, através dos olhos de uma pessoa pequena, era, no mínimo assustador.

Sêmele, que sempre esteve lá, o curandeiro e uma elegante mulher que uma vez apareceu, eram os únicos que eu havia conhecido até então. Os três possuíam algo negro que as perseguiam. Eu procurava esta escuridão em mim mas nunca conseguia encontrar. Então eu observava a escuridão dos outros e eu me lembro de ter chegado às seguintes conclusões:

A escuridão foge da luz. Esse lado negro das pessoas sempre estará do lado oposto de qualquer fonte de luz.
As pessoas parecem não perceber, ou não enxergar, ou fingir que não existe essa assustadora forma negra que as persegue constantemente.
A escuridão não tem um formato ou tamanho específico, apesar de seu contorno ser sempre semelhante a de quem a escuridão está acompanhando, ela pode esticar, encolher, retrair-se ou extender-se como desejar, sempre, como já comentei, fugindo da luz.
Eu ainda era muito novo. Eu compreendia tudo mas, por mais que eu me esforçasse, não conseguia pronunciar as palavras que meu cérebro formava. Muito mais tarde descobri que esta também era uma diferença da minha natureza. Intelectualmente eu me desenvolvi mais depressa que fisicamente. E tive que esperar meses até que minhas cordas vocais estivessem desenvolvidas o suficiente para conseguir falar.

E quando, finalmente, eu comecei a formar palavras, eu comecei a fazer perguntas, e nos olhos dela eu vi o medo. Acho que aquelas que cuidam da gente quando pequenos, normalmente, gostam quando seus filhos se desenvolvem rapidamente, quando eles começam a andar, começam a formar as palavras, mas esse não foi o caso da minha.

Eu percebi que eu havia me desenvolvido rápido demais, e isso fez com que Sêmele se assustasse. No fundo, mesmo ela nunca tendo dito isso, eu sabia que o que ela mais queria é que a minha natureza fosse igual a de todos, ela queria que aos seis meses de idade, eu estivesse formando as primeiras sílabas, e não fazendo perguntas…

Sêmele, O que é esta escuridão que te acompanha?

Ela ficou muito assustada… Tão assustada que saiu do quarto e voltou muito tempo depois. Não sei dizer quanto, pois naquela época ainda não havia aprendido a contar o tempo, mas para mim pareceu uma eternidade.

Curioso como a primeira lembrança que tenho da minha infância é a imagem dos olhos amedrontados de minha mãe.
Curioso como a primeira lembrança que tenho da minha infância é a imagem dos olhos amedrontados dela.
Percebendo que meu desenvolvimento precoce a havia assustado, eu fingi ser estúpido, lento, devagar no meu aprendizado o que, de certa forma, a agradava. E foi a partir desse dia que eu comecei a buscar uma forma de fazer com que a minha natureza fosse igual à natureza de todos. Foi a partir desse dia, com seis meses de idade, que eu comecei a desejar a escuridão. Eu queria ter esse forma soturna me perseguindo, exatamente como todos que eu conhecia. Como ninguém havia sequer tocado no assunto, eu ainda não sabia o nome dessa forma enegrecida. Mas, não muito tempo depois, ela me explicou.

Primeiro, com muito carinho, mas ainda com medo nos olhos, ela me explicou:

Não me chame de Sêmele. Assim é como os outros me chamam. Você me chamará de mãe.

A princípio, achei estranho. Ninguém a chamava assim. Essa, era uma palavra nova, que eu nunca havia ouvido antes. Mas, ela me chamava de filho, enquanto todos me chamavam de Dionísio, então foi fácil compreender.

Em seguida… Ela me explicou:

Essa escuridão que nos persegue, meu filho, se chama “sombra”.
avatar
Rafoliveira
Camponês

Camponês

Masculino
Número de Mensagens : 2
Idade : 35
Localização : São Paulo
Desde quando você joga RPG? : 2010
Reputação : 0
Pontos : 652
Data de inscrição : 16/10/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Diário de um Tiefing

Mensagem por draculino em Sab Out 17, 2015 10:06 am

Draculino achou o texto duca!!!! Tomara que Draculino o inspire com o vídeo abaixo:

avatar
draculino
Aventureiro N. 3

Aventureiro N. 3

Masculino
Número de Mensagens : 238
Idade : 57
Localização : rio de janeiro rj brasil
Humor : palhaço
Desde quando você joga RPG? : Não lembro
Reputação : 3
Pontos : 1969
Data de inscrição : 25/06/2013

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Diário de Um Tiefling

Mensagem por Rafoliveira em Seg Out 19, 2015 11:07 am

O vídeo foi ao mesmo tempo inspirador e chocante. Obrigado, Draculino.
avatar
Rafoliveira
Camponês

Camponês

Masculino
Número de Mensagens : 2
Idade : 35
Localização : São Paulo
Desde quando você joga RPG? : 2010
Reputação : 0
Pontos : 652
Data de inscrição : 16/10/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Diário de Um Tiefling

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum