RPGBrasil.Org
Se Você não é Membro, Cadastra-se Agora é rapido e fácil.
Venha Participar do Melhor Forum de RPG voltado a um Cenário.
Últimos assuntos
» Revista RPGBRASIL.ORG - Edição 02
Sex Jul 14, 2017 11:16 am por druidadp

» Vendo minha coleção de livros
Sex Jun 30, 2017 1:12 pm por José

» Jocah
Qua Jun 28, 2017 9:09 am por druidadp

» Natasha Yori - Viúva Negra
Qua Jun 28, 2017 8:55 am por druidadp

» Livro Jogo
Ter Jun 27, 2017 5:50 pm por druidadp

» Começando...
Ter Jun 27, 2017 5:42 pm por druidadp

» ERA NOVEL :: participe
Sab Jun 17, 2017 7:13 pm por druidadp

» Roll20
Qua Jun 14, 2017 10:43 am por pingoluis

» Qual a diferença entre o D&D e o AD&D
Ter Jun 13, 2017 11:29 am por pingoluis

» Pesquisa para TCC. Ajudem quem puder!
Ter Jun 13, 2017 11:09 am por pingoluis

» Benshiba - Adotado por MilkShakespare
Seg Jun 12, 2017 4:31 pm por MilkShakespare

» Sou novo no Fórum
Ter Jun 06, 2017 9:15 pm por uatico

» Pesquisa de TCC: desenvolvimento de novas ferramentas
Qui Jun 01, 2017 3:47 pm por Galguyn

Social bookmarking

Social bookmarking Digg  Social bookmarking Delicious  Social bookmarking Reddit  Social bookmarking Stumbleupon  Social bookmarking Slashdot  Social bookmarking Yahoo  Social bookmarking Google  Social bookmarking Blinklist  Social bookmarking Blogmarks  Social bookmarking Technorati  

Conservar e compartilhar o endereço de RPG Brasil em seu site de social bookmarking

Conservar e compartilhar o endereço de RPGBrasil.Org em seu site de social bookmarking

Conectar-se

Esqueci minha senha

Visitas
Flag Counter

Notícias sobre Ariano Suassuna e o teatro medieval

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Notícias sobre Ariano Suassuna e o teatro medieval

Mensagem por draculino em Seg Set 14, 2015 3:15 am

Sinpose: Draculino vai desenvolver algumas considerações sobre ariano suassuna (1927 - 23 dejulho de 2014) . Ele foi um importante dramaturgo e escritor brasileiro. Iniciou sua carreira como autor teatral em 1947, com a peça Uma Mulher VESTIDA DE Sol. Seguiram-se: Cantam as Harpas de Sião e O desertor e a Princesa (1949) e Arco Desolado (1952). A partir de 1955 procurou fundir a temática popular nordestina com o auto de inspiração no Teatro Medieval de Gil Vicente: dessa fase são as obras Auto da Compadecida (1955), O Santo e a Porca (1957) e a Farsa da Boa Preguiça (60). Escreveu também O Romance d´A Pedra do Reino e O Principe do sangue Vai e Volta (1971).




Resenha de Auto da Barca do Inferno de Gil Vicente




1 - Ariano Suassuna e a Escola do REcife
1.1 A origem da Escola do Recife.

       Uma das críticas dos educadores brasileiros a Reforma do ensino feita por D. João VI é que ela foi baseada em faculdades isoladas.  Draculino estudou numa assim. A universidade do Brasil surgiu em 1937 (Atual UFRJ). Mas vamos a Escola do REcife. Ela surgiu em torno da Faculdade de Direito. Talvez tenha sido o critico literário Silvio Romero quem mais chamou a atenção a circunstância de que na década de 70 do século XIX "um bando de idéias novas esvoaçou sobre nós de todos os pontos do Horizonte" ( Paim, Antonio - História das Idéias filosóficas no Brasil, p 315).

 Em relação ao pensamento filosófico, deve-se considerar como estabelecido, a existência, muito anterior aos anos 70, de manifestações isoladas de inconformismo com a doutrina eclética (Victor Cousin) e do conhecimento das obras de Augusto Comte, da repercursão das doutrinas de Darwin, da crítica a religião começada na Alemanha pelos chamados hegelianos de esquerda, continuada por Renan e outros, etc. Contudo o toque de alarma estava dado. No plano internacional da Politica A Guerra FRanco-Prussiana e a Comuna de Paris e A Guerra do Paraguai, como dizia uma velha raposa política pôs a nu as fraquezas da monarquia, que concentrava os meios sistema de idéias que se procurava combater. Em 1869, os liberais afastados do poder lançaram o programa mais avançado da época. Reclamam liberdade de Indústria e Comércio; extinção dos monopólios; a descentralização administrativa com o reforço da autonomia das províncias e dos municípios. Exigem mais: que o imperador se limite a reinar deixando a funçao de governo a cargo do ministério. No ano seguinte, com a fundação do Partido Republicano, tais campanhas assumem feição nitidamente antimonarquica.

      1.1.1 - Enquanto isso na Corte...
             É deste perído descrito acima a fundação, no Rio  de Janeiro, da Sociedade POsitivista. Começaram a aparecer as primeiras obras daqueles que seriam mais tarde, os líders teóricos das duas alas do comtismo a ortodoxa e a dissidente: Miguel Lemos, Teixeira Mendes e Pereira Barreto. Em 1875, divulga-se a obra de inspiração materialista O FIM DA CRIAÇÃO OU A NATUREZA INTERPRETADA PELO SENSO COMUM, publicada anonimamente por José de Araújo Ribeiro, Visconde do Rio GRande. Manifestações do novo estado de espírito registram-se na Bahia, no CEará, São Paulo e Rio Grande do Sul. A filosofia Eclética, que reinava no plano teórico, sofre ataques frontais.

2 - Quem é esse tal de Tobias Barreto?
Filho de família humilde o sergipano Tobias Barreto (1839-1889), só aos 25 anos de idade logrou ingressar na Faculdade do REcife. Influenciado a princípio pelo ecletismo de Cousin, aderiu depois ao positivismo, que mais tarde achou deficiente. Por fim defendeu o monismo materialista.
      2.1 - A evolução das idéias de Tobias Barreto.
             Além de a princípio adotar o ecletismo historico de Victor Cousin, esta visão histórica o impediu de adotar o materialismo vulgar de Vogt, Buchner e Molaschot sem crítica a exemplo do que ocorreu com Sílvio Romero na primeira metade da década de 70.
             2.1.1 - Como ele formulou a crítica ao espiritualismo?
                       A crítica ao método psicológico, ao conceito de alma, à definiçao de Teodicéia como ciência, às provas da existência de Deus, à doutrina de força vital de Domingos de Magalhaes, bem como a análise do sentimento religioso foram tratados pelo pensador sergipano com profundidade e coerência no período em que sua preocupação era a crítica ao espiritualismo.
            2.1.2 - E como foi a crítica ao positivismo?
                       O espírito da nação na década de 60, era de geral inconformismo com o atraso vigente, tão doloroso revelado pela Guerra do Paraguai. Em meio ao atraso geral da nação a doutrina de Augusto Comte teve o mérito de chamar a atenção para as ciências naturais e o método experimental, pondo a descoberto esta lacuna na nossa formação saturada de espiritualismo e ao primado da cultura livresca. Durante mais de 10 anos , a partir de 1875, o pensador sergipano lançaria seu ataque ao positivismo com o mesmo empenho  que se dedicou anteriormente à refutação do espiritismo.
          2.1.3 - A aceitação do neokantismo
                    É certo que Tobias Barreto não explicitou, em nenhum lugar de sua obra, a incompatibilidade entre a aceitação do conceito de neokantismo - a filosofia entendida como epistemologia - e o monismo do biólogo Haeckel, que integrava o campo das "filosofias sintéticas" - afilosofia como síntese das ciências.
      2.2 - O culturalismo contribuição de Tobias Barreto.
            Além de ter assinalado a importância da crítica a epistemologia (teoria do conhecimento) Tobias Barreto apresentaria uma contribuição original, ao apontar a cultura, como a esfera cujo exame facilitaria a superação do positivismo. O culturalismo se propõe refutar a filosofia positivista com física social, isto é , a hipótese de uma disciplina dedicada ao estudo da sociedade com os mesmos pressupostos da física de Isaac Newton.
2.3 - Por que "voltar" a Kant?
Kant, filósofo alemão, levantou mais problemas do que resolveu. Ao considerar desligadas a Razão Pura (intelecto, teoria) que funda a ciência, e a Razão Prática, que estabelece a moral terminou por ser ironizado: "A Teoria na Prática é outra".
Do ponto de vista do kantismo o problema das colisões eticas por razões de classe, nacionalidade, religiosidade, etc., permanecem esquecidas. A arte será neutra? Draculino tentará responder adiante.

2.4 - Por que a Escola do Recife foi um marco?
A Escola do Recife foi um marco na cultura brasileira pois abriu ao pensamento juridico novos horizontes; lançou bases para a sociologia ser entendida como disciplina independente; trouxe à luz toda a problemática da historiografia brasileira além do que sua inflencia pode ser assinalada em outras áreas.

3 - O que é Auto?
Draculino vai acompanhar de perto a dissertação de Francisco Welington Rodrigues Lima, muito embora este estudioso não tenha responsabilidade sobre a conclusão dele.
3.1 - O mal representado
" Foi através do conhecimento do profeta Zoroastro (Zaratrusta) que chegou à figura de Anumã, descrito por ele como 'O Príncipe das Trevas'". Isto foi revelado por volta do século VI Antes da Era Comum, na antiga Pérsia.

3.2 - O riso pagão e o riso do Diabo na Idade Média.
"O Diabo causou muito medo durante a Idade Média. Nos séculos XIV, XV e XVI nas representações artisticas veicularam imagens pavorosas de Satã e do Inferno, conforme a mentalidade cristã medieval. No entanto, ainda neste período surgiram inúmeras histórias que suavizaram o medo do Diabo, tornando-o cômico pelo fato de ser derrotado por santos, heremitas e pessoas simples e astuciosas" (p. 70 da dissertação).

3.3 - O Diabo e o teatro Medieval
Nas encenações teatrais humanistas, em especial nas encenações vicentinas o Diabo é insultado e ridicularizado pelos personagens das mais diferentes classes sociais, desde o clero e a nobreza até o mais simples representante do povo, o parvo. (idem)

4 - Conclusão
Draculino tentou responder se a arte é neutra avaliando o Auto da Compadecida (que é uma farsa, uma inversão irônica onde a crítica desce do Céu a Terra). A arte de Ariano Suassuna teve o merito de implodir quase um século de censura estabelecida pelo Conservatório Dramático (1863). Além disso relaciona-se com a cultura popular ao incluir temas da literatura de cordel e por sua mentalidade de que o homem do povo pela sua astúcia pode vencer os poderosos. Por isto a obra é uma parte de um projeto nacional e popular.


Última edição por draculino em Qui Set 17, 2015 10:47 am, editado 5 vez(es) (Razão : Inclusão de vídeo resenha do Auto da Barca do Inferno; Origem da Escola do Recife. Tobias Barreto.Auto. Conclusão)
avatar
draculino
Aventureiro N. 3

Aventureiro N. 3

Masculino
Número de Mensagens : 238
Idade : 57
Localização : rio de janeiro rj brasil
Humor : palhaço
Desde quando você joga RPG? : Não lembro
Reputação : 3
Pontos : 1968
Data de inscrição : 25/06/2013

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum