RPGBrasil.Org
Se Você não é Membro, Cadastra-se Agora é rapido e fácil.
Venha Participar do Melhor Forum de RPG voltado a um Cenário.
Últimos assuntos
» GRANDES LORDES
Ter Nov 21, 2017 9:54 am por druidadp

» POPULAÇÃO DO REINO DOS MORTOS
Qui Nov 16, 2017 5:48 pm por druidadp

» REFERÊNCIAS DO REINO DOS MORTOS
Ter Nov 14, 2017 5:59 pm por druidadp

» IDÉIAS DE AVENTURAS EM ERA (Colaborativo)
Ter Nov 14, 2017 5:17 pm por druidadp

» Bracelete Olho de Rallor
Ter Nov 14, 2017 2:25 pm por druidadp

» POLÍTICA DE FRONTEIRAS [APROVADO]
Qua Nov 08, 2017 2:00 pm por druidadp

» [AGUARDANDO CORREÇÃO] Favaros - Um Olhar Sensorial
Dom Nov 05, 2017 6:07 pm por Élisson Machado

» musica que inspira uma sessão de rpg
Sab Nov 04, 2017 10:04 am por draculino

» Um projeto de novembro de Aguas Misticas
Seg Out 30, 2017 9:46 pm por draculino

» Utilitários
Seg Out 30, 2017 4:20 pm por druidadp

» Biocyberdrama roteiro de Edgar Franco ilustrado por Mozart Couto
Dom Out 29, 2017 11:33 am por draculino

» Filmes de Akira Kurosawa que inspiram uma sessão de rpg
Dom Out 29, 2017 11:14 am por draculino

» PRINCIPAIS GUERRAS [APROVADO]
Qui Out 19, 2017 11:25 am por druidadp

Os membros mais ativos da semana
Fininho
 
druidadp
 

Os membros mais ativos do mês
druidadp
 
Fininho
 
Bordini
 
Élisson Machado
 
draculino
 
AzorHexx
 

Quem está conectado
1 usuário online :: Nenhum usuário registrado, Nenhum Invisível e 1 Visitante

Nenhum

[ Ver toda a lista ]


O recorde de usuários online foi de 162 em Sab Fev 26, 2011 7:45 am
Conectar-se

Esqueci minha senha

Visitas
Flag Counter

Notícias sobre Ariano Suassuna e o teatro medieval

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Notícias sobre Ariano Suassuna e o teatro medieval

Mensagem por draculino em Seg Set 14, 2015 3:15 am

Sinpose: Draculino vai desenvolver algumas considerações sobre ariano suassuna (1927 - 23 dejulho de 2014) . Ele foi um importante dramaturgo e escritor brasileiro. Iniciou sua carreira como autor teatral em 1947, com a peça Uma Mulher VESTIDA DE Sol. Seguiram-se: Cantam as Harpas de Sião e O desertor e a Princesa (1949) e Arco Desolado (1952). A partir de 1955 procurou fundir a temática popular nordestina com o auto de inspiração no Teatro Medieval de Gil Vicente: dessa fase são as obras Auto da Compadecida (1955), O Santo e a Porca (1957) e a Farsa da Boa Preguiça (60). Escreveu também O Romance d´A Pedra do Reino e O Principe do sangue Vai e Volta (1971).




Resenha de Auto da Barca do Inferno de Gil Vicente




1 - Ariano Suassuna e a Escola do REcife
1.1 A origem da Escola do Recife.

       Uma das críticas dos educadores brasileiros a Reforma do ensino feita por D. João VI é que ela foi baseada em faculdades isoladas.  Draculino estudou numa assim. A universidade do Brasil surgiu em 1937 (Atual UFRJ). Mas vamos a Escola do REcife. Ela surgiu em torno da Faculdade de Direito. Talvez tenha sido o critico literário Silvio Romero quem mais chamou a atenção a circunstância de que na década de 70 do século XIX "um bando de idéias novas esvoaçou sobre nós de todos os pontos do Horizonte" ( Paim, Antonio - História das Idéias filosóficas no Brasil, p 315).

 Em relação ao pensamento filosófico, deve-se considerar como estabelecido, a existência, muito anterior aos anos 70, de manifestações isoladas de inconformismo com a doutrina eclética (Victor Cousin) e do conhecimento das obras de Augusto Comte, da repercursão das doutrinas de Darwin, da crítica a religião começada na Alemanha pelos chamados hegelianos de esquerda, continuada por Renan e outros, etc. Contudo o toque de alarma estava dado. No plano internacional da Politica A Guerra FRanco-Prussiana e a Comuna de Paris e A Guerra do Paraguai, como dizia uma velha raposa política pôs a nu as fraquezas da monarquia, que concentrava os meios sistema de idéias que se procurava combater. Em 1869, os liberais afastados do poder lançaram o programa mais avançado da época. Reclamam liberdade de Indústria e Comércio; extinção dos monopólios; a descentralização administrativa com o reforço da autonomia das províncias e dos municípios. Exigem mais: que o imperador se limite a reinar deixando a funçao de governo a cargo do ministério. No ano seguinte, com a fundação do Partido Republicano, tais campanhas assumem feição nitidamente antimonarquica.

      1.1.1 - Enquanto isso na Corte...
             É deste perído descrito acima a fundação, no Rio  de Janeiro, da Sociedade POsitivista. Começaram a aparecer as primeiras obras daqueles que seriam mais tarde, os líders teóricos das duas alas do comtismo a ortodoxa e a dissidente: Miguel Lemos, Teixeira Mendes e Pereira Barreto. Em 1875, divulga-se a obra de inspiração materialista O FIM DA CRIAÇÃO OU A NATUREZA INTERPRETADA PELO SENSO COMUM, publicada anonimamente por José de Araújo Ribeiro, Visconde do Rio GRande. Manifestações do novo estado de espírito registram-se na Bahia, no CEará, São Paulo e Rio Grande do Sul. A filosofia Eclética, que reinava no plano teórico, sofre ataques frontais.

2 - Quem é esse tal de Tobias Barreto?
Filho de família humilde o sergipano Tobias Barreto (1839-1889), só aos 25 anos de idade logrou ingressar na Faculdade do REcife. Influenciado a princípio pelo ecletismo de Cousin, aderiu depois ao positivismo, que mais tarde achou deficiente. Por fim defendeu o monismo materialista.
      2.1 - A evolução das idéias de Tobias Barreto.
             Além de a princípio adotar o ecletismo historico de Victor Cousin, esta visão histórica o impediu de adotar o materialismo vulgar de Vogt, Buchner e Molaschot sem crítica a exemplo do que ocorreu com Sílvio Romero na primeira metade da década de 70.
             2.1.1 - Como ele formulou a crítica ao espiritualismo?
                       A crítica ao método psicológico, ao conceito de alma, à definiçao de Teodicéia como ciência, às provas da existência de Deus, à doutrina de força vital de Domingos de Magalhaes, bem como a análise do sentimento religioso foram tratados pelo pensador sergipano com profundidade e coerência no período em que sua preocupação era a crítica ao espiritualismo.
            2.1.2 - E como foi a crítica ao positivismo?
                       O espírito da nação na década de 60, era de geral inconformismo com o atraso vigente, tão doloroso revelado pela Guerra do Paraguai. Em meio ao atraso geral da nação a doutrina de Augusto Comte teve o mérito de chamar a atenção para as ciências naturais e o método experimental, pondo a descoberto esta lacuna na nossa formação saturada de espiritualismo e ao primado da cultura livresca. Durante mais de 10 anos , a partir de 1875, o pensador sergipano lançaria seu ataque ao positivismo com o mesmo empenho  que se dedicou anteriormente à refutação do espiritismo.
          2.1.3 - A aceitação do neokantismo
                    É certo que Tobias Barreto não explicitou, em nenhum lugar de sua obra, a incompatibilidade entre a aceitação do conceito de neokantismo - a filosofia entendida como epistemologia - e o monismo do biólogo Haeckel, que integrava o campo das "filosofias sintéticas" - afilosofia como síntese das ciências.
      2.2 - O culturalismo contribuição de Tobias Barreto.
            Além de ter assinalado a importância da crítica a epistemologia (teoria do conhecimento) Tobias Barreto apresentaria uma contribuição original, ao apontar a cultura, como a esfera cujo exame facilitaria a superação do positivismo. O culturalismo se propõe refutar a filosofia positivista com física social, isto é , a hipótese de uma disciplina dedicada ao estudo da sociedade com os mesmos pressupostos da física de Isaac Newton.
2.3 - Por que "voltar" a Kant?
Kant, filósofo alemão, levantou mais problemas do que resolveu. Ao considerar desligadas a Razão Pura (intelecto, teoria) que funda a ciência, e a Razão Prática, que estabelece a moral terminou por ser ironizado: "A Teoria na Prática é outra".
Do ponto de vista do kantismo o problema das colisões eticas por razões de classe, nacionalidade, religiosidade, etc., permanecem esquecidas. A arte será neutra? Draculino tentará responder adiante.

2.4 - Por que a Escola do Recife foi um marco?
A Escola do Recife foi um marco na cultura brasileira pois abriu ao pensamento juridico novos horizontes; lançou bases para a sociologia ser entendida como disciplina independente; trouxe à luz toda a problemática da historiografia brasileira além do que sua inflencia pode ser assinalada em outras áreas.

3 - O que é Auto?
Draculino vai acompanhar de perto a dissertação de Francisco Welington Rodrigues Lima, muito embora este estudioso não tenha responsabilidade sobre a conclusão dele.
3.1 - O mal representado
" Foi através do conhecimento do profeta Zoroastro (Zaratrusta) que chegou à figura de Anumã, descrito por ele como 'O Príncipe das Trevas'". Isto foi revelado por volta do século VI Antes da Era Comum, na antiga Pérsia.

3.2 - O riso pagão e o riso do Diabo na Idade Média.
"O Diabo causou muito medo durante a Idade Média. Nos séculos XIV, XV e XVI nas representações artisticas veicularam imagens pavorosas de Satã e do Inferno, conforme a mentalidade cristã medieval. No entanto, ainda neste período surgiram inúmeras histórias que suavizaram o medo do Diabo, tornando-o cômico pelo fato de ser derrotado por santos, heremitas e pessoas simples e astuciosas" (p. 70 da dissertação).

3.3 - O Diabo e o teatro Medieval
Nas encenações teatrais humanistas, em especial nas encenações vicentinas o Diabo é insultado e ridicularizado pelos personagens das mais diferentes classes sociais, desde o clero e a nobreza até o mais simples representante do povo, o parvo. (idem)

4 - Conclusão
Draculino tentou responder se a arte é neutra avaliando o Auto da Compadecida (que é uma farsa, uma inversão irônica onde a crítica desce do Céu a Terra). A arte de Ariano Suassuna teve o merito de implodir quase um século de censura estabelecida pelo Conservatório Dramático (1863). Além disso relaciona-se com a cultura popular ao incluir temas da literatura de cordel e por sua mentalidade de que o homem do povo pela sua astúcia pode vencer os poderosos. Por isto a obra é uma parte de um projeto nacional e popular.


Última edição por draculino em Qui Set 17, 2015 10:47 am, editado 5 vez(es) (Razão : Inclusão de vídeo resenha do Auto da Barca do Inferno; Origem da Escola do Recife. Tobias Barreto.Auto. Conclusão)
avatar
draculino
Aventureiro N. 3

Aventureiro N. 3

Masculino
Número de Mensagens : 247
Idade : 58
Localização : rio de janeiro rj brasil
Humor : palhaço
Desde quando você joga RPG? : Não lembro
Reputação : 3
Pontos : 2114
Data de inscrição : 25/06/2013

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum