RPGBrasil.Org
Se Você não é Membro, Cadastra-se Agora é rapido e fácil.
Venha Participar do Melhor Forum de RPG voltado a um Cenário.
Últimos assuntos
» Magia de 1 nível sono - D&D 3.5
Ontem à(s) 9:17 am por Cleber Augusto

» Apoia.se - Apoie nosso projeto, saiba como!
Sex Jan 20, 2017 4:20 pm por druidadp

» 4 de fevereiro :: 155º ENCONTRO DE RPG NO BOBs
Sex Jan 20, 2017 10:37 am por druidadp

» 11 de fevereiro :: RPG BRASUCA
Qui Jan 19, 2017 10:19 am por druidadp

» 19 e 20 de agosto :: DIVERSÃO OFF LINE
Sab Jan 14, 2017 11:09 pm por druidadp

» 12 - Viúva Negra
Qua Jan 04, 2017 10:52 am por Fininho

» ADOTE UMA CIDADE - O Projeto
Seg Jan 02, 2017 7:21 pm por druidadp

» "Como faz ficha?" (Novo aqui galeroo!!)
Sab Dez 24, 2016 3:11 pm por Rigashii

» Olá, sou nova aqui :)
Qui Dez 22, 2016 5:43 pm por druidadp

» Há alguma diferença entre D20 e 2D10?
Ter Dez 20, 2016 9:46 pm por gumemura

» DUVIDA DE NEWBIE
Ter Dez 20, 2016 8:32 pm por gumemura

» Narrando o sistema mundial
Qua Dez 07, 2016 5:06 pm por draculino

» Desbravadores de ERA - Edição 05
Seg Nov 28, 2016 2:24 pm por druidadp

Social bookmarking

Social bookmarking Digg  Social bookmarking Delicious  Social bookmarking Reddit  Social bookmarking Stumbleupon  Social bookmarking Slashdot  Social bookmarking Yahoo  Social bookmarking Google  Social bookmarking Blinklist  Social bookmarking Blogmarks  Social bookmarking Technorati  

Conservar e compartilhar o endereço de RPG Brasil em seu site de social bookmarking

Conservar e compartilhar o endereço de RPGBrasil.Org em seu site de social bookmarking

Login

Esqueci minha senha

Visitas
Flag Counter

Realidade Comparada.

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Realidade Comparada.

Mensagem por MilkShakespare em Qui Ago 20, 2015 4:11 pm

Boa-tarde!

Meu intento neste tópico é apresentar a realidade atual brasileira, pela ótica da economia dos últimos 10 anos e, assim, tentar realizar uma adaptação aos mundos de fantasia.

"Lula, ao quitar a dívida com o FMI (Fundo Monetário Internacional) não o fez em verdade. O que sucedeu-se foi a internalização da dívida do Brasil. Assim sendo, a dívida que ora estava atrelada ao pagamento à entidade internacional responsável por emprestar dinheiro a governos passou a pertencer a nós, brasileiros.
Como assim?
Vou expor meus argumentos afim de manter-me dentro das prerrogativas iniciais:

Ao realizar esta proeza, o então presidente ganhou vulto e fama diante das maiores lideranças mundiais. No Brasil apresentava-se a iminência de crescimento econômico devido à confiança dada pelos órgãos de classificação de risco de investimento, que avaliam o perigo de que o dinheiro aplicado acumule ou então se perca nas atividades financeiras e cambiais ao longo de um determinado tempo. Dado este momento de explosão irracional, o nosso pais tornou-se o lugar para melhor ser colocado o dinheiro de quem se interessasse pela aventura no mundo dos negócios especulativos.

Ora, penso eu que a solução, hoje, aponta para um fato um tanto estranho, que agora nos afeta diretamente: o mercado de títulos de dívida pública.
Ao assumir a dívida frente ao banco internacional e transferi-la para o país, o presidente assumiu seu papel de agente superavitário, típico a qualquer um que se atreva a ser um agente financeiro.

Penso eu que imaginando o quadro favorável a investimentos de capital, e tendo acumulada uma dívida exorbitante, mas que ainda não causava impacto direto na economia interna, emitir títulos da dívida seria uma ótima forma de reaver o dinheiro. Assim, montanhas de dinheiro de dívida atrairia os credores para a Bolsa de Valores, onde é que se vende estes títulos.

A pergunta que ficou no ar foi: "Se o Brasil passa por um momento de pleno emprego e forte crescimento econômico, donde vem, então, tantos títulos de dívida? Esta pergunta sequer foi levantada à época, tampouco respondida. Ops! Há algo de errado aqui!

Acredito que afirmar isso com toda convicção seria prepotência de minha parte; contudo... parece fazer algum sentido!

No mercado financeiro, investir em dívidas de países dá muito lucro... se este investimento garantir que, de acordo com a balança comercial, o país cresça em produtividade SEM a necessidade de serem injetados mais dinheiro para crédito. Porque o país que se endivida emitindo crédito, para depois receber a juros o dinheiro emitido, tende a inflacionar a moeda e, em face deste decréscimo do valor, não poderá por longo tempo retornar ao patamar inicial a que havia estado.

Agora, por quê diacho eu estou escrevendo isso aqui?

A política econômica do governo PTista, apesar de favorecer o lado social da arena, subestimou a capacidade de acionistas perceberem o truste!

Em RPG, eu gostaria de saber se vocês empregam as leis e regulamentos de acordos entre as nações de seus mundos para criar um cenário parecido com este.
A história dos Rothschild foi mais ou menos assim! Durante as guerras napoleônicas, eles bancaram o exército Francês em suas campanhas e praticamente especulavam o valor do ouro a seu talante! Comprava-se barato na França e revendia a preços maiores na Inglaterra... e isso era feito pelos mesmos irmãos!
Deprecia-se o moral do governo para que os títulos de dívida ainda restantes a ser liquidados, seja emitindo-os, seja negociando-os, não sigam o curso e cause a estagflação.

Fica no ar a questão: " Estará o atual governo sendo alvo de especulações que, além de causar esta desacreditação nacional por parte dos cidadãos, provoca o descrédito de investidores, dado os números e estimativas de baixo crescimento?"

O truste atinge o governo da atual Presidenta. Contudo, acredito que serão desmascarados os que intentam contra a nação e a legitimidade da democracia. A situação inverteu-se aqui.

Sim... ou não?

MilkShakespare
Soldado

Soldado

Masculino
Número de Mensagens : 330
Idade : 29
Localização : joao monlevade, São Paulo atualmente (Sumaré)
Humor : Líquido
Desde quando você joga RPG? : 1999
Reputação : 9
Pontos : 2251
Data de inscrição : 01/12/2011

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Realidade Comparada.

Mensagem por MilkShakespare em Sab Ago 22, 2015 10:31 am

Se se ainda pergunta o porquê o Governo Federal ainda não instituiu a Reforma Agrária no país, está aí a resposta:

Se ele realizar a reforma, os maiores credores do governo - os grandes proprietários de terras - simplesmente não poderão comprar mais e receber investimentos no setor agrícola por parte de ativos e mesmo do Governo Federal e seus programas de promoção à agricultura. Portanto, a vista grossa feita pelos nossos dirigentes aos danos causados à amazônia e as extensões de terra fértil e floresta convertida em lavouras serve-nos de exemplo claro de como as coisas são por aqui. Sem produzir e vender a safra, não há arrecadação suficiente, muito menos o lucro dos juros que cada investidor, sendo ele uma agente financeiro, ou o Governo Federal, será pago devidamente.

Qual a solução para esses problemas?

Vamos representar a realidade, oras!

Reproduzir não significa o mesmo que representar. Reproduzir consiste em produzir algo ou um bem no mesmo plano de realidade, enquanto representar é um remanejamento para outra realidade: uma simulação.

Respondendo por mais de 30% do PIB, o setor agrícola e relacionados ao extrativismo e à pecuária assume a dianteira no mercado financeiro. O Brasil ainda é um país agroindustrial devido a este percentual incindindo na economia através das exportações para países do eixo Asiático, que ora sofrem forte queda em suas Bolsas de Valores. E isto concorre para que, aqui, esta repercussão atinja em cheio os mercados nacionais.

Esta inflexão na política agrária do país e da devida distribuição de terras ainda acarretará longos debates; mas eles não serão apresentados aqui.

Em RPG isso fica interessante:

"Imaginem um reino onde serão distribuídas terras a todos os que retornaram de uma guerra recente. Agora imaginem o montante gasto para que este Rei saísse o vencedor. Imaginem também que estes credores deste Rei desejem o retorno do seu ouro a seus castelos, e novos castelos para salvaguardar o seu ouro recém-adquirido. Os que deviam receber as terras por direito são prejudicados; os que financiaram a campanha merecem-nas (as terras) mais do que aqueles outros.
Eis o dilema: A quem o Rei conferirá o direito de posse das terras?"

Espero que participem deste jogo, pois eu tenho a resposta a esta pergunta e o motivo que fará o rei conceder as terras a uma das partes irá esclarecer muita coisa!

E tenham um bom final-de-semana!

MilkShakespare
Soldado

Soldado

Masculino
Número de Mensagens : 330
Idade : 29
Localização : joao monlevade, São Paulo atualmente (Sumaré)
Humor : Líquido
Desde quando você joga RPG? : 1999
Reputação : 9
Pontos : 2251
Data de inscrição : 01/12/2011

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Realidade Comparada

Mensagem por draculino em Qua Ago 26, 2015 9:39 am

MilkShakespare escreveu:Se se ainda pergunta o porquê o Governo Federal ainda não instituiu a Reforma Agrária no país, está aí a resposta:

Se ele realizar a reforma, os maiores credores do governo - os grandes  proprietários de terras -  simplesmente não poderão comprar mais e receber investimentos no setor agrícola por parte de ativos e mesmo do Governo Federal e seus programas de promoção à agricultura. Portanto, a vista grossa feita pelos nossos dirigentes aos danos causados à amazônia e as extensões de terra fértil e floresta convertida em lavouras serve-nos de exemplo claro de como as coisas são por aqui. Sem produzir e vender a safra, não há arrecadação suficiente, muito menos o lucro dos juros que cada investidor, sendo ele uma agente financeiro, ou o Governo Federal, será pago devidamente.

Qual a solução para esses problemas?

Vamos representar a realidade, oras!

Reproduzir não significa o mesmo que representar. Reproduzir consiste em produzir algo ou um bem no mesmo plano de realidade, enquanto representar é um remanejamento para outra realidade: uma simulação.

Respondendo por mais de 30% do PIB, o setor agrícola e relacionados ao extrativismo e à pecuária assume a dianteira no mercado financeiro. O Brasil ainda é um país agroindustrial devido a este percentual incindindo na economia através das exportações para países do eixo Asiático, que ora sofrem forte queda em suas Bolsas de Valores. E isto concorre para que, aqui, esta repercussão atinja em cheio os mercados nacionais.

Esta inflexão na política agrária do país e da devida distribuição de terras ainda acarretará longos debates; mas eles não serão apresentados aqui.

Em RPG isso fica interessante:

"Imaginem um reino onde serão distribuídas terras a todos os que retornaram de uma guerra recente. Agora imaginem o montante gasto para que este Rei saísse o vencedor. Imaginem também que estes credores deste Rei desejem o retorno do seu ouro a seus castelos, e novos castelos para salvaguardar o seu ouro recém-adquirido. Os que deviam receber as terras por direito são prejudicados; os que financiaram a campanha merecem-nas (as terras) mais do que aqueles outros.
Eis o dilema: A quem o Rei conferirá o direito de posse das terras?"

Espero que participem deste jogo, pois eu tenho a resposta a esta pergunta e o motivo que fará o rei conceder as terras a uma das partes irá esclarecer muita coisa!

E tenham um bom final-de-semana!


Milk, muito interessante tua proposta. Só peço licença para acrescentar o porque o movimento camponês não assumiu a palavra de ordem da Reforma Agrária.  O movimento dos trabalhadores agrícolas começou escravo daí assumiu a bandeira do trabalho livre através do Quilombo dos Palmares.






Como afirmava antigo filosofo alemão, a renda do solo é a parcela dos donos da terra, o lucro dos patrões das fábricas, e o salário do peão.   Convém não esquecer isto para traçar a relação do mundo medieval (os senhores feudais eram intelectuais que possuiam o domínio da técnica da guerra, terras e servos) e o mundo republicano (a obtenção do lucro através do trabalho assalariado). Por ora ficou DRaculino nestas notas.

draculino
Aventureiro N. 3

Aventureiro N. 3

Masculino
Número de Mensagens : 234
Idade : 57
Localização : rio de janeiro rj brasil
Humor : palhaço
Desde quando você joga RPG? : Não lembro
Reputação : 3
Pontos : 1779
Data de inscrição : 25/06/2013

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Realidade Comparada.

Mensagem por MilkShakespare em Ter Set 22, 2015 2:24 pm

Logo respondo.

MilkShakespare
Soldado

Soldado

Masculino
Número de Mensagens : 330
Idade : 29
Localização : joao monlevade, São Paulo atualmente (Sumaré)
Humor : Líquido
Desde quando você joga RPG? : 1999
Reputação : 9
Pontos : 2251
Data de inscrição : 01/12/2011

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Realidade Comparada.

Mensagem por MilkShakespare em Qui Set 24, 2015 9:31 am

O problema da distribuição de propriedade no meio rural é uma das mais antigas questões sociais do Brasil, remontando ao modelo de colonização implantado -grandes extensões de terra, sesmarias; ao enorme território conquistado como área de fronteira; à própria dificuldade de se instituir uma regulação pública do tema.
A Lei de Terras de 1850 é a evidência dessa questão, pois, ao normatizar as possibilidades de compra e venda da terra, ratificou a posse, mas transformou a terra em uma mercadoria, cuja aquisição era proibitiva para os setores populares.

O período republicano conheceu diversas iniciativas, visando a organização do mundo rural, especialmente diante da crescente mobilização de pequenos proprietários, sem terra, camponeses...
Os movimentos sociais, os partidos políticos e as associações sindicais pressionavam pela mudança do modelo de propriedade e pela modernização das relações trabalhistas no campo.(intelectuais nobres da Idade Média)
Questão agrária relacionada à violência, já que o poder local dos grandes proprietários rurais fazia com que instituições políticas e jurídicas estivessem sob influência do latifúndio (Poder de Guerra dos Nobres?)
A interpelação democrática dos conflitos - que terminavam resolvidos com pistolagem, assassinatos e grilagem de terras públicas - era difícil.

A carta de 88 consagrou a ideia de função social da propriedade:
Os movimentos sociais obtiveram um instrumento jurídico para questionar a legalidade das grandes propriedades; os marcos para o processo de desapropriação de terras improdutivas foram criados
No governo FHC os grandes proprietários de terras foram contemplados pela gestão, expandindo suas áreas de cultivo pela amazõnia, a exemplo;
No governo Lula, foram beneficiados os pequenos produtores (agricultura familiar). Paradoxalmente o poder do agronegócio aumentou enquanto os conflitos pela posse de terra intensificaram-se.

(http://sindicalismo.pessoal.bridge.com.br) texto sobre sindicalismo rural.

Quuanto ao sistema de legitimação da posse da terra na Idade Média, preciso pesquisar mais.



MilkShakespare
Soldado

Soldado

Masculino
Número de Mensagens : 330
Idade : 29
Localização : joao monlevade, São Paulo atualmente (Sumaré)
Humor : Líquido
Desde quando você joga RPG? : 1999
Reputação : 9
Pontos : 2251
Data de inscrição : 01/12/2011

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Realidade Comparada.

Mensagem por draculino em Qui Set 24, 2015 7:07 pm

MilkShakespare escreveu:O problema da distribuição de propriedade no meio rural é uma das mais antigas questões sociais do Brasil, remontando ao modelo de colonização implantado -grandes extensões de terra, sesmarias; ao enorme território conquistado como área de fronteira; à própria dificuldade de se instituir uma regulação pública do tema.
A Lei de Terras de 1850 é a evidência dessa questão, pois, ao normatizar as possibilidades de compra e venda da terra, ratificou a posse, mas transformou a terra em uma mercadoria, cuja aquisição era proibitiva para os setores populares.

A carta de 88 consagrou a ideia de função social da propriedade:
Os movimentos sociais obtiveram um instrumento jurídico para questionar a legalidade das grandes propriedades; os marcos para o processo de desapropriação de terras improdutivas foram criados
No governo FHC os grandes proprietários de terras foram contemplados pela gestão, expandindo suas áreas de cultivo pela amazõnia, a exemplo;
No governo Lula, foram beneficiados os pequenos produtores (agricultura familiar). Paradoxalmente o poder do agronegócio aumentou enquanto os conflitos pela posse de terra intensificaram-se.

(http://sindicalismo.pessoal.bridge.com.br) texto sobre sindicalismo rural.

Quuanto ao sistema de legitimação da posse da terra na Idade Média, preciso pesquisar mais.



Draculino pensou em passar em revista 50 anos em 5 minutos (ou um pouquinho mais).   No Brasil Republicano, o movimento camponês oscilou entre a rebelião, através do cangaço, e da revolta ou pelo fanatismo religioso(Como a de Canudos, na Bahia, retratada no filme Deus  e o Diabo na Terra do Sol. A do Contestado (guerra entre as oligarquias do Paraná e Santa Catarina, pelos limites estaduais. Estalou uma revolta camponesa). A reinvidicação de reforma agrária organizada surge com AS LIGAS CAMPONESAS, que é retratado no documentário Cabra Marcado para Morrer)







Draculino analisou a dualidade da constituição de 88 (há o reconhecimento do trabalho como valor fundamental da nação ao lado da função social da propriedade). Nos ultimos 50 anos, a nação foi agitada pelos autênticos e fisiológicos (primeiro período da Resistência DEmocrática, cujo marco eleitoral é a fundação do MDB, em 1966). No período de transição, 1984-1988, surgiu a ala autêntica e o Centrão (neoliberais) período atual da Resistência democrática.

Draculino tá sem inspiração. Deixa o legado de Joaquim Pedro de Andrade (O "esculacho" é sobre a noção de inferiodade racial e o imperialismo).



(A Revolta do Contestado. A empresa imperialista ianque queria construir uma ferrovia. Aguçaram-se as contradições entre esses Coronéis da República VElha e a massa camponesa, que misturou elementos de rebeldia e fanatismo religioso)




Para o Feudalismo Draculino lembrou da guerra dos Cem anos (Inglaterra e FRança)




e do ciclo do Rei Artur e os Cavaleiros da Távola Redonda (Draculino lembrou de Excalibur)




Para o ciclo do Rei Artur "esculachado" ver a versão do Grupo Monty Python



Última edição por draculino em Sex Set 25, 2015 2:24 am, editado 3 vez(es) (Razão : Inclusão da Guerra do Contestado Jeane D´arc e Excalibur e Monty Phyton em busca da cálice sagrado.)

draculino
Aventureiro N. 3

Aventureiro N. 3

Masculino
Número de Mensagens : 234
Idade : 57
Localização : rio de janeiro rj brasil
Humor : palhaço
Desde quando você joga RPG? : Não lembro
Reputação : 3
Pontos : 1779
Data de inscrição : 25/06/2013

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Realidade Comparada.

Mensagem por Conteúdo patrocinado Hoje à(s) 4:27 am


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum